BAHIA, CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1988

EM PÉ: João Marcelo, Ronaldo, Paulo Rodrigues, Tarantini, Paulo Robson e Claudir.
Agachados: Marquinhos, Bobô, Charles, Zé Carlos e Gil.

por Rafael Kafka em 04/04/2008

1988. Fim iminente da guerra fria, ditaduras se diluindo ao redor do mundo, a expectativa de um novo porvir para a humanidade e o extase de uma nação... Uma nação sofrida, uma nação guerreira, uma nação festiva, uma nação batalhadora...

Em essência uma nação que "balança o chão da praça enquanto sua dor balança, balança o chão da praça" do POVO! Naquele ano essa nação, a nação tricolor baiana se apresentava frente ao seu momento histórico mais único, via o seu mais amado filho que briosamente honrava suas cores e símbolos há 58 anos ter, novamente, um título nacional, 31 anos após derrotar o Santos de Pelé e dessa vez sem que pudessem questionar que aquele era, sim, um título BRASILEIRO!

Um momento histórico único de afirmação de um POVO, de afirmação do talento, da superação de preconceitos e limitações financeiras, estruturais, de toda ordem!

Naqueles dias eu era apenas um garoto de 11 anos que sonhava em ver o filho mais amado da minha terra, da terra da felicidade, sagrar-se campeão brasileiro e vencer todas as barreiras possíveis e imagináveis.

Eu que em cada gol, na semifinal contra o Fluminense, havia sido jogado por meu tio para o ar, contemplando, ao mesmo tempo com medo e fascínio, 120 mil pessoas em um delírio coletivo de felicidade!

Naquele momento, após a virada histórica no primeiro jogo da final, o Brasil se preparava para o que seria o título "certo" do Internacional.

A mídia ironizava o nome dos jogadores do Esquadrão de Aço como o inesquecível e eterno herói, Bobô, e a Bahia se unia em um misto de fé e esperança pelo seu filho, a Bahia, mãe do Brasil, dava as mãos naquele dia de ruas desertas e de famílias, amigos reunidos para vivenciar um momento histórico.

E o que parecia um milagre, aconteceu! O Esquadrão de Aço revelou-se, mais que nunca, intransponível, heróico, guerreiro! A mídia perplexa teve que reconhecer o talento daqueles heróis, a muralha Ronaldo, “a elegância sutil de Bobô”, a garra de um clube unido pela glória!

Naquele dia eu, um garoto de onze anos recém aprovado no Colégio Militar, cheio de sonhos, que vivia separado da extrema miséria das palafitas de Alagados por um estaleiro abandonado, naquele dia único esse garoto pôde chorar a alegria dos campeões, a alegria de quem sonhava um dia defender o filho mais amado de sua terra nos tribunais, de quem um dia sonhava em ver sua terra com aquela felicidade transformar-se em uma alegria permanente.

19 anos se passaram, o garoto tornou-se advogado, superou muitos obstáculos e pôde lutar por aquele time heróico, lutar para libertá-lo da destruição, lutar pelo retorno daquele momento de glória! Da memória os heróis nunca se afastaram e da alma a nação tricolor baiana, o POVO da Bahia, nunca se apartou.

Salve o POVO da Bahia, salve seu filho mais querido, Bi-Campeão Brasileiro, o Esporte Clube Bahia, salve a memória de um garoto que nunca desistiu de sonhar!

Comentários (19): http://fotolog.terra.com.br/retratonaparede:27

Em 4/04/2008, às 00:50:23, Diego Simonetti disse:
Foi uma conquista não apenas do Bahia, ou da Bahia, mais também de todo o Nordeste. O Bahia é sem dúvidas, uma força do futebol nacional. E a sua torcida se não for a mais é uma das mais apaixonadas.


Em 4/04/2008, às 01:28:25,
Francis Silva disse: Muito legal o fotolog, tenho saudades de ver o Bahia na primeira divisão arrastando multidões em seus jogos em casa. Volte logo Bahia.

Em 4/04/2008, às 08:51:52, Hugo disse:
É Rapaz. Fonte Nova, Bahia competitivo. São coisas que vão e pelo jeito não voltar.

Em 4/04/2008, às 12:22:31, castelinho disse:
o momento é difícil, esteve turbulento ao extremo, e vai se aprumar, com fé e trabalho. A fonte faz falta, mas o Bahia é vivo pela paixão da torcida, e isso não morre.

Em 4/04/2008, às 14:01:39, Brener Teixeira disse:
Está aí, estampado, o meu maior orgulho. Meu Bahia.

Em 4/04/2008, às 15:33:31, Teobaldo Pereira de Jesus e-mail disse:
Eu não tenho inveja pois eu também passei por isso, sinto saudade e espero em Deus que em muito breve possamos ter essas mesmas alegrias...haja coração !

Em 4/04/2008, às 16:40:04, Válter Feitosa e-mail disse:
Quero muito agradecer a oportunidade de rever essse equadro. Simplesmente Maravilhoso. Que o nosso GLORIOSO ESPORTE CLUBE BAHIA volte a ter seus dias de glórias, não mais como no passado, mas com ousadas conquistas, por exemplo campeão sulamaericano. É um sonho, mas tenho direito a sonhar. Saudações tricoloridas. Válter Feitosa Santa Rita-PB feitosa´_valter@ig.com.br

Em 5/04/2008, às 01:25:52, Débora Menezes disse:
Chamem-me de louca, insana... até de Fanática.... mas eu amo meu Bahia e tenho muita fé e esperança que voltemos aos velhos tempos!!! Rafito! Mandou bem!!!

Em 5/04/2008, às 05:04:06, José Wilson Pinto de Castro e-mail disse:
Parabens, brilhante trabalho. Eu vivi as duas conquistas máxima do futebol baiano espero viver mais outras apesar do momento eu continuo sendo torcedor do Bahia.

Em 5/04/2008, às 05:57:28, kLEBER GOMES e-mail disse:
Parabéns pelo texto. E Vamos torcer nação tricolor, acreditar sempres que os tempos ruins acabaram e de agora em diante e levantar a cabeça e dar a volta por cima.

Em 5/04/2008, às 20:32:08, adriana Seixas disse:
Faltarma outros guerreiros ai como: Sales, Edinho, Pereira e muitos outros.

Em 6/04/2008, às 15:36:03, Thomaz disse:
BORA BAHÊÊÊÊÊÊÊÊA

Em 6/04/2008, às 20:05:03, RICARDO MOTA e-mail disse:
QUE SAUDADES DAQUELE TIME EU QUE SOU SERGIPANO TORÇO PARA O CONFIANÇA-SE E FLAMENGO MAIS ME RENDO POR UM GRUPO FANTASTICO COMO AQUELE

Em 12/06/2008, às 00:26:18, José Antonio da Silva Filho e-mail disse:
Estou com uma duvida, se possível gostaria de tira-la. Quem era o titular Sandro ou Marquinhos na campanha vitoriosa de 1988?

Em 12/06/2008, às 14:07:23, Rafael Kafka disse:
Marquinhos era o titular.Aliás, foi de Sandro o primeiro gol, de cabeça, que vi na Fonte Nova, no antológico 3 x 0 no Santos em 86.

Em 27/01/2009, às 16:27:57, Jacson disse:
Faltou creditar o preparador físico José Carlos Queiroz, à direita de João Marcelo.

Em 10/02/2009, às 19:09:11, marcos disse: sandro foi um grande jogador.

Em 17/02/2009, às 20:59:45, Marcelo Oliveira e-mail disse:
Se os dirigentes pararem de rolbalheira e realmente colocarem o coração no Bahia, não só teremos as alegrias do passado, como outras que ainda nao tivemos, como libertadores...

Em 8/03/2009, às 23:29:03, Ivan Gomes e-mail disse:
Há, como eu amo este time:estou muito confiante no trabalho que Paulo Carneiro e Macelo -o presidente,implatarão no Baiáço.....

8 comentários:

everton alcantara,  4 de agosto de 2009 13:47  

nesse ano tinha 1 mes nem tinha nossao de futebol hoje em dia sou louco pro meu bahia, bahia minha vida e vc . a midia falar quer o flamego e o corinthias tem a maior torcida . mais o bahia e o mais apaixonado clube de futebol adoro ele . ele pode estar nao seri d,c,b mais sempre amarei ele
bahia minha vida e vc bahia minha vida e vc hehehehehehe

Saulo 18 de setembro de 2009 12:40  

Nesse ano o Bahia tinha um grande time. É uma pena ver o Bahia na situação que tá agora.

Infelizmente, vai permanecer na Série B e tomara que volte logo para a elite que é o seu lugar.

Ha, sobre o convite de escrever sobre o Botafogo no seu blog eu aceito sim e vou tentar fazer um texto nesse final de semana sobre o título de 95.

Valeu e até mais.

Anônimo,  15 de fevereiro de 2010 09:47  

É esse o time que queremos ver de volta aos gramados, um time vencedor, esquadrão de AÇO.
umbora meu BAHIAAAAAAAAAAAAAAAA. minha,VIDA MEU AMORRRRRRRRRRRRR

pinha pinel,  20 de fevereiro de 2010 11:37  

esse é o clube que eu aprendi amar desde quando nasci bora BAHÊEEEEEEAAAAA

regibrasaviva@hotmail.com,  6 de agosto de 2010 12:52  

eta bahia do meus sonhossssssssssssssss

valter gomes,  4 de maio de 2011 16:08  

qui saudades desse time

Anônimo,  28 de março de 2013 23:03  

sou vascaíno nato. mas sem sombra de duvidas, é o titulo mais bonito conquistado por um clube de futebol no campeonato brasileiro. foi uma luta de classes, uma disputa de regiões, um pais divido em dois, uma mídia sarcástica ironizando os nordestinos. mas aquele time do bahia tinha uma coisa que poucos conseguiram. união. o time perfeito do goleiro ao ponta esquerda. sem contar a torcida. valeo baeeeeeeeeeeeeea.

Sinval lopes dos santos 20 de abril de 2014 20:35  

um dos melhores time do bahia que eu vi jogar até hoje, parabéns campeõs.

Postar um comentário