Bragantino, campeão Paulista de 1990

Em pé: Gil Baiano, Biro-Biro, Carlos Augusto, Mauro Silva e Marcelo.
Agachados: Ivair, Tiba, Mário, Mazinho e João Santos.

Nos anos 80, uma série de clubes do interior paulista surgiram para o Brasil. De 1981 a 1990, seis equipes interioranas chegaram a finais do Paulista: Ponte Preta (81), Inter de Limeira (86), Guarani (88), São José (89) e Novorizontino e Bragantino, foram os protagonistas da primeira final "caipira" do Estadual, ocorrida em 1990.

A classificação para a decisão acabou com a cerveja da pequena Novo Horizonte por quase uma semana, e o título catapultou o Bragantino, que chegou até a uma final de Brasileiro. Os finalistas revelaram três jogadores campeões do mundo na Copa de 1994: Mauro Silva, do lado do Bragantino, e Márcio Santos e Paulo Sérgio, do lado do Novorizontino.

Mas a década de 90 trouxe o fim do crescimento: a fama do Bragantino foi curta, e o clube logo voltou às divisões intermediárias. O Novorizontino, com problemas financeiros, está afastado de competições profissionais desde 1999. Essa final caipira revelou além de grandes jogadores, dois técnicos que fizeram fama nacionalmente como Nelsinho Baptista e Vanderlei Luxemburgo, que depois de alguns problemas de documentação se tornou Wanderley Luxemburgo.

A final seria disputada pelos vencedores da Série Vermelha e Série Preta, e todos torciam para dar Corinthians, que tinha uma melhor campanha, e Palmeiras na final. Mas, na última rodada, o Timão e o Verdão decepcionaram, apenas empatando com os seus adversários. Resultado: pela primeira vez na história do Paulistão, dois times do interior estavam na final. Seria o primeiro duelo entre Nelsinho Bastista (Novorizontino) e Luxemburgo (Bragantino).

O Bragantino conseguiu garantir seu lugar na final, deixando Corinthians e Santos pelo caminho. Com isso, Bragantino e Novorizontino fizeram a que foi chamada de “final caipira”, termo que foi reavivado após São Caetano e Paulista de Jundiaí decidirem o título estadual em 2004. O estádio Jorge Ismael de Biasi ficou lotado para a primeira partida da decisão. O jogo foi equilibrado e o 1x1 foi justo (gols de Édson Pezinho e Ivair). Um cenário muito parecido foi verificado no jogo de Bragança Paulista. Márcio Santos colocou o Novorizontino em vantagem, mas Tiba empatou para o Bragantino pouco depois. Mais experiente, o clube da casa soube segurar o 0x0 na prorrogação e ficou com o título paulista.

CAMPEONATO PAULISTA 1990

CAMPEÃO: BRAGANTINO
ARTILHEIRO: Volnei - Ferroviária, Rubem - Guarani e Alberto - Ituano (12 gols)


TIME-BASE: Marcelo; Gil Baiano, Júnior, Carlos Augusto e Biro-Biro; Mauro Silva, Ivair, Mazinho e João Santos; Tiba e Mário. Técnico: Wanderley Luxemburgo.

CAMPANHA
37 jogos - 18 vitórias, 12 empates, 7 derrotas - 43 gols pró, 22 gols contra


Comentários (2): (http://fotolog.terra.com.br/retratonaparede:9)

Em 12/05/2006, às 18:58:16, ISABELLA disse:
QUE FOTO FEIA!MAS VC TEVE SORTE QUE EU A RECUPEREI. BJOS ISABELLA

Em 31/05/2009, às 02:26:22, lucas | e-mail disse:
ae ...quem marcou o gol foi tiba???num lembro muito bem desse cara naum...

2 comentários:

Anônimo,  15 de agosto de 2009 16:03  

esse tempo era muito bom os times do interior eram fortes ganhavão na bola e na rassa mesmo os juizes ajudando os chamados times grandes

Anônimo,  29 de abril de 2012 17:04  

Raça nao rassa

Postar um comentário