Porto, tricampeão português 2008

Em Pé: Helton, Bosingwa, Lisandro Lopes, Bruno Alves, Tarik e Pedro Emanuel.
Agachados: Quaresma, Raul Meireles, Fucile, Lucho Gonzales e Paulo Assunção.

Postado por Márcio Kidura 13/04/2008
Em homenagem ao Porto que comemorou o tricampeonato recentemente.
Num cenário criteriosamente decorado a azul e branco, e envolto num ambiente ensurdecedor, a geração do tricampeonato foi praticamente espontânea, tão natural quanto previsível. Os preparativos, breves, produziram a celebração e o primeiro ensaio da saudável loucura em menos de dez minutos. O gol, que no caso é o mesmo que dizer o título, rebentou no triângulo de puro traço argentino, concluído por Lucho. Para variar, foi Lisandro quem assistiu.
Estava em marcha a insaciável máquina demolidora, sabiamente afinada e oleada para reduzir novo adversário a pequenos fragmentos, manifestando, sem intervalos, vários indícios de uma genialidade incomparável e sinais de uma superioridade inegável, como no lance que deu origem ao segundo gol, na trivela de Quaresma ou no remate indefensável de Tarik.
No espaço de dois minutos, o «tri» conquistara alicerces sólidas e inabaláveis, que, analisados à devida distância, assumiam apenas a configuração de estruturas de apoio às fundações lançadas em Braga, ainda na primeira rodada. A maior a que o Dragão aplicou ao longo da temporada, vencendo o Estrela Amadora por 6x0.
Porque o descanso esteve longe de uma trégua, o Porto repetiu as amostras de excelência irrefutável. Mostrando um futebol equilibrado, que balança entre a sobriedade defensiva e a criatividade ilimitada no ataque, o líder à beira da consagração deu continuidade ao processo de trituração do opositor. O método de desmantelamento do adversário decorreu como até então, num misto de fervor, encanto e, talvez mais importante, de classe, de uma categoria inatingível.
O ataque, no gênero planeado ou na variante explosiva, num estilo muito próprio construído ao redor de transições rápidas, deu origem a mais quatro gols. Marcaram Quaresma, Bruno Alves, Lisandro e até Maurício. Exultou outra vez o público, feliz, divertido, parte integrante de uma festa anunciada, que prestou o devido tributo aos campeões, entre milhões de brilhantes, aplausos e labaredas. Primeiro no estádio, depois no Mundo Inteiro.
Parabéns aos brazucas no elenco campeão: Helton, Paulo Assunção, Lino, Leandro Lima e Adriano Louzada.
Referências:
Marina Silberberg
Carlos Santos
Em 13/04/2008, às 03:09:54, carlos página pessoal e-mail disse:
E bom participar do terra fotolong que tem por determinação,adimirar todos que fas parte da arte que se chma futebol,levando a mostrar grande postais que ficarão espaço que se chama tempo e hoje a ideia é recontruir tudo aquilo que foi esquecido,e levar e mostrar tudo de novo.....ok que deus abençõe.........
Em 13/04/2008, às 22:33:17, Ricardo Colonetti disse:
Realmente dispardo o melhor time de Portugal. Empora tenha ao meu ver somente mais o Benfica e o Spoting com futebol de nível no campeonato português, o Porto ainda é o melhor. Destaco Quaresma e Lucho nesse time, que possui muitos bons jogadores. Abraços...

1 comentários:

Natálio Santos,  7 de agosto de 2009 00:57  

em corrupção são de facto os melhores, vide o processo "APITO DOURADO"!!!

Postar um comentário