Entrevista com Valdir Appel, ex goleiro do Vasco da Gama

Time posado do Vasco de 1966:
Em pé, da esquerda para direita:
Valdir Appel, Ari, Brito, Alcir, Fontana e Oldair.
Agachados: Nado, Paulo Mata, Célio, Danilo Menezes e Zezinho.

Hoje estaremos lançando um post especial, em forma de entrevista com o ex-goleiro do Vasco entre outros, Valdir Appel, que gentilmente nos atendeu por e-mail e cedeu vários materiais excelentes para coleção de times posados do retrato na parede.

Valdir era o reserva do Vasco no milésimo gol de Pelé, e conta detalhes dos bastidores daquele gol, do medo do Andrada em ir para partida, fala do temor dos seus tempos e do grande Pai Santana do CR Vasco da Gama.

Valdir escreve para sites esportivos, entre eles o seu próprio blog http://valdirappel.blogspot.com/

Nome Completo: Valdir Appel
Data de Nascimento: 01 maio 1946
Clubes que atuou: Paysandú e Carlos Renaux de Brusque SC; Palmeiras de Blumenau/SC; Vasco da Gama; América do Rio; Bonsucesso, Campo Grande e Volta Redonda; Sport do Recife; América e Alecrim de Natal; Ceub de Brasília; Goiânia; Atlético de Goiás e Rio Verde.

Onde e como iniciou sua carreira?
Nos juvenis do Paysandú de Brusque. Titular do time principal aos 15 anos me profissionalizei aos 16.

Você se inspirou em algum goleiro?
No meu pai e no meu tio que foram grandes goleiros do Paysandu nos anos 40 e 50.

Você era o reserva do Andrada no milésimo gol do Pelé, como você descreve aquele momento vivido por vocês ali no campo? Você gostaria de ter sido o goleiro do milésimo?
Na verdade o gringo Andrada não queria jogar este jogo, e quase sobrou pra mim. Andrada dizia que, o que ele mais temia era levar o gol numa falha sua, diriam que falhara de propósito, por ser Argentino, etc e tal. Jogou e jogou bem. Foi emocionante o espetáculo preparado para aquela noite. Publico espetacular, banda de musica, ótimo jogo de futebol, algo digno do Rei. E na concentração véspera do jogo, os jogadores sentindo que o Andrada não estava a fim de jogar, a turma sacaneava o gringo. Andrada, se você não esta a fim de jogar, não tem problema, o Valdir joga. Pra ele não vai fazer diferença. Já está na história mesmo, com aquele gol contra.


Andrada e Valdir, ex companheiros do Vasco no Lançamento do livro "Na Boca do Gol"

Na sua época o massagista “Pai Santana” já estava no Vasco, e ele ainda continua até os dias de hoje sendo querido por todos. Como você enxerga a relação dele com o clube?
Não existe mais esta relação jogador/clube, amor a camisa. O assedio ao craque começa cedo. Basta ele dar um chute para surgir uma transferência milionária.
Já o funcionário, como Santana, ainda pode se eternizar no clube e marcar a sua trajetória com amor recíproco.

Qual foi o jogador mais temido que você enfrentou? E qual foi a melhor dupla de zaga que você atuou?
Bom agora ficou difícil. Já na época em que os bons ficavam por aqui cito alguns como Pelé, Edu do Santos e Edu do America; Silva Batuta, Zico, Rivelino, Doval, e........
A dupla Brito e Fontana do Vasco foi uma das melhores; Fred e Fernando no Voltaço também....


Time posado do Volta Redonda de 1976 que empatou com o Flamengo por 1x1 pelo campeonato Carioca com a dulpa de zaga Fred e Fernando, considerada por Valdir como uma das melhores que ele atuou.
Em pé: Aloísio, Paulão, Fred, Fernando, Zé Maria e Valdir Appel
Agachados: Jorge Cuíca, Paulo Roberto, Acilino, Ademir e Paulo César; massagista Chico.

A vida é repleta de altos e baixos, e no futebol não é diferente. Qual foi o pior e o melhor momento de sua carreira?
Fazer um gol contra no Maracanã foi com certeza o momento mais difícil que eu vivi (Valdir refere-se a um jogo do Vasco da Gama contra o Bangu, válido pelo campeonato carioca, acabou marcando um gol contra. Ele tentou lançar a bola com as mãos, mas acabou fazendo o movimento errado e a jogou para dentro das próprias redes). Sobreviver aquele momento é com certeza o meu maior triunfo.

Você lançou o livro “Na boca do Gol”, conte-nos um pouco do livro e onde os interessados poderão adquirir o mesmo?
O livro é antes de ser biografico, é um livro de crônicas bem humoradas sobre os bastidores do futebol. O titulo é referência ao que fiz por mais de 20 anos. Ou seja, por vinte e tantos anos estive ali, na boca do gol. O Livro conta historias dos bastidores do milésimo gol, da conquista do Vasco de 70, causos de jogadores folclóricos como Bill, Garrincha, técnicos e etc.Em breve deve sair o segundo volume. No meu blog posto semanalmente estas historias e enriqueço o conteúdo com farto material do meu acervo. O Livro pode ser adquirido nos sites da Livraria Pontes; Livraria Folha Seca; e http://www.livrosdefutebol.com/ ou pelo meu e-mail appelval@terra.com.br

Algumas fotos do Acervo e Livro do Valdir.

Time posado do Atlético de Goiás, em 1980. Em pé da esquerda para direita:
Chiquito, Modesto, Wilson, Ademar, Valdir Appel e Celso.
Agachados: Mirandinha, Waltair, Tulica, Alexandre Bueno e Bugre.

América de Natal - RN, que venceu o Vasco em São Januário.
Time posado da Esquerda para Direita:
Em pé: Valdir Appel, Ivan, Queiroz, Odélio, Zeca e Olimpio.
Agachados: Pedrada, Numberto Ramos, Washington, Elcio e Iavanildo

Time posado do Goiânia de 1978. Da esquerda para direita.

Em pé: Valdir Appel, Ulisses, Neto, Odon, Zé Krol e Lula;
Agachados: Tito Livio, Toninho Almeida, Bill, Eber e Pedro Paulo.

Seguindo com a entrevista...

Nos tempos atuais, o Brasil está bem servido de goleiros?
Temos os melhores do mundo na atualidade; Julio Cesar; Bruno, Fabio do Cruzeiro, Felipe no Corinthians...

E quais são seus projetos nos dias atuais?
Trabalho para uma multinacional que vende fósforos e isqueiros. Sou supervisor de vendas no estado de SC. Quando me aposentar, irei prestar assessoria de vendas por aí e continuar escrevendo pra não perder o costume.

Muito obrigado por sua atenção e como Vascaíno agradeço os 7 anos de dedicação ao clube cruzmaltino.
Marcio, fiquei feliz pela oportunidade de "falar" no teu blog e muito gratificado pelo fato de estar conhecendo um garoto que gosta, pesquisa e esta muito interessado em manter viva a memória dos times e dos grandes astros do nosso futebol. Abraço.

9 comentários:

Sílvia 17 de julho de 2009 16:28  

Hola!
gracias por invitarme a leer la entrada. Buena entrevista.
saludos
sílvia

JediVermelho 17 de julho de 2009 19:30  

Excelente trabalho!Sim tenho messenger,é o mesmo do e-mail!Abraço!

Varzea Santista 18 de julho de 2009 00:14  

Marcio:

Brilhante a matéria. Parabéns.

Jair Siqueira.

Adalberto Day,  18 de julho de 2009 12:00  

Valdir
Querido Chiquinho
Emocionei-me. Sempre que você nos narra esses fatos dos idos anos 60 e 70, é muito lindo e importante. Você é o cara, que conheceu de tudo um pouco de nosso futebol, teve andanças por todos os cantos. Quando você fala principalmente de sua passagem pelo nosso Vasco, eu fico radiante. Tive orgulho de estar no lançamento de seu livro – na boca do Gol, onde guardo e releio de vez em quando, e naquele dia ter conhecido o Andrada, e o Raul Plasmas pessoalmente foi sensacional. Além do Teixeirinha o maior craque de nosso futebol de todos os tempos, foi memorável. Você foi um leal reserva do Andrada e amigo sobre tudo, isso só engrandece sua vida futebolística. Valdir, você é querido em todo o Brasil, por sua simplicidade, pelo seu caráter e sobre tudo humano.
Brito e Fontana....sensacional eu era fã desses dois grandes jogadores, que foram campões em 1970, o Brito era o maior vigor físico dessa copa.Parabéns pela entrevista e pelo conteúdo que você nos disponibiliza no blog.
Abraços
Adalberto Day cientista social e pesquisador da História em Blumenau.

Marco Aurélio,  18 de julho de 2009 23:47  

vi esse time jogar... altas lembranças ao ver essa foto, pois foi em uma época em que eu mais alguns amigos iamos em jogos de meio da semana da Campininha para o Serra Dourada à pé pra ver nosso glorioso Dragão jogar... chegavamos de volta em casa de madrugada... imagina isso??? Bons tempos!!!!

Marcio PARABÉNS
valeu mesmo...

sucesso!!!

Anônimo,  23 de julho de 2009 09:00  

O seu valdir é muito querido em Brusque e região, o popular Chiquinho, grande patrimônio vivo dos vascaínos e paisanduanos, e seu livro ''Na Boca do gol '' é sensacional.
abraço, Alex vascaíno (Boiba)
Brusque 23 07 09

Anônimo,  17 de julho de 2011 09:04  

como posso comprar o livro . sou torcedor do GOIANIA E C e admirador do valdir. eta bons tempos do galo carijó.....

Anônimo,  17 de julho de 2011 09:10  

Uma oportunidade, entrei em campo como mascote do GOIANIA em 1978, GOIANIA X ATLETICO, campeonato goiano, lembro que foi feito uma foto, será que valdir não tem esta foto? Eu estava vestido c/ camisa alvi-negra igual a do corinthians. Na epoca tinha meus 13 anos, hoje tenho 46......

Anônimo,  25 de agosto de 2011 10:28  

Chiquinho um abraço do paysanduando Luiz Gianesini

Postar um comentário