Coritiba Campeão Brasileiro Série B 2007

De pé: (da esquerda para direita) Dr. Lúcio Erlundt, Careca, Jeci, Édson Bastos, Ivo, Henrique, Glydiston Ananias e Marcelo.
Agachados: Túlio, Ricardinho, Fabinho, Pedro Ken, Keirrison e Gustavo.

Por Guilherme Teixeira Stresser em 21/06/2008
Foto: www.terra.com.br

Foi dolorosa, penosa, árdua, dramática e, por isso mesmo, com muito mais mérito a conquista do título de Campeão Brasileiro da Série B. A volta à elite foi alcançada com antecedência, mas o título só foi conquistado no último minuto do último jogo, quando o time contava com apenas nove jogadores em campo. Um bate-rebate na área e a bola sobrou para Henrique Dias, caído, fazer o terceiro gol, o gol do título.

O torcedor do Coritiba viu o Brasileirão começar sob forte desconfiança. No final de 2006, tudo indicava que o time conseguiria voltar a Série A, mas perdeu a vaga nas últimas rodadas e acabou mais um ano amargurando a Segundona. Veio o Campeonato Paranaense de 2007 e, com ele, mais um fracasso: o Coritiba foi eliminado nas semi-finais pelo Paranavaí, que acabou se tornando campeão. Além disso, dias mais tarde o Coritiba ainda foi eliminado da Copa do Brasil pelo Botafogo.

Começa a Série B e o Coritiba vence na estréia, em casa, o Paulista, por 3 x 1. Bom começo. Mas, na semana seguinte perde para o Gama por 1 x 0 no Mané Garrincha. No dia 2 de junho, derrota em casa para o São Caetano, por 1 x 0. O time não estava bem – era o 12º colocado – e, o que era pior, não tinha a menor confiança da torcida.

O jeito foi contratar um novo técnico com bastante experiência para um momento tão delicado e turbulento. E o escolhido foi Renê Simões, que já tinha levado a Jamaica a uma Copa do Mundo, e havia passado dois anos no Irã, onde a pressão é freqüente.

No dia 10 de junho, Renê surpreendeu a torcida coxa-branca, escrevendo uma carta aberta aos torcedores. Ela começava assim: “O pessimista reclama do vento, o otimista espera o vento mudar de direção e o realista ajusta suas velas e tira o máximo do vento que existe”. A nova filosofia caiu no gosto da torcida, que passou a apoiar mais o time. E os resultados foram acontecendo. Forte no poder de convencimento, René Simões repetia para seus jogadores que, para se dar bem no duro Campeonato Brasileiro, primeiro era preciso se dar bem em casa.

Com o apoio da torcida e com a confiança restabelecida dos jogadores, a filosofia de René foi sendo implantada: vencer os jogos em casa e beliscar pontos fora. Assim, venceu o Brasiliense em casa e na seqüência empatou com o Ceará em Fortaleza; perdeu para o Ipatinga em Minas, mas se recuperou diante do Fortaleza em casa.

No dia 29 de setembro, o Coritiba enfrentou o Ipatinga, no Couto Pereira, num jogo que ficará marcado, pelos 4 pênaltis cobrados por Anderson Lima, para dar a vitória de 1 x 0, aos 54’ do 2º tempo.

Em 3 de novembro, o Coritiba empatou com o Vitória em casa, e com o empate, garantiu o acesso a Serei A do ano seguinte – de onde nunca deveria ter saído. Mas faltava ainda o título, que veio chorado no dia 24 de novembro: o Coritiba enfrentava o já rebaixado Santa Cruz, e precisava apenas de uma vitória para ser campeão. Porém aos 42’ do 2º tempo o Coritiba perdia o jogo e o título, já que o Ipatinga já havia vencido o Paulista e já comemorava o título. Mas com apenas nove jogadores em campo, o Coritiba empatou o jogo com Keirrison aos 42’ e virou aos 47’ com Henrique Dias, explodindo em alegria o torcedor coxa-branca.

Comentários (3): http://fotolog.terra.com.br/retratonaparede:36

Em 22/06/2008, às 00:59:54, Junior - COXAnautas página pessoal disse:
Parabéns Marcio! O Glorioso está de volta ao seu lugar. Oh Glorioso como é bom te ver Campeão de novo!

Em 22/06/2008, às 13:03:44, FRANCISCO NOVO e-mail disse:
ESSE TIME É MELHOR DO QUE A SELEÇÃO BRASILEIRA!!!!!

m 8/08/2008, às 12:42:35, daniel disse:
Nação coxaaaaaaaaaa rumo a libertadores

1 comentários:

Anônimo,  28 de julho de 2009 10:54  

Aqui é coxa mané

Postar um comentário